A FALSIDADE DO HOMEM E A VERACIDADE DE DEUS

•dezembro 14, 2012 • Deixe um comentário

Deus[Salmo de Davi para o músico-mor, sobre Seminite] Salva-nos, SENHOR, porque faltam os homens bons; porque são poucos os fiéis entre os filhos dos homens.
Cada um fala com falsidade ao seu próximo; falam com lábios lisonjeiros e coração dobrado.
O SENHOR cortará todos os lábios lisonjeiros e a língua que fala soberbamente.
Pois dizem: Com a nossa língua prevaleceremos; são nossos os lábios; quem é senhor sobre nós?
Pela opressão dos pobres, pelo gemido dos necessitados me levantarei agora, diz o SENHOR; porei a salvo aquele para quem eles assopram.
As palavras do SENHOR são palavras puras, como prata refinada em fornalha de barro, purificada sete vezes.
Tu os guardarás, SENHOR; desta geração os livrarás para sempre.
Os ímpios andam por toda parte, quando os mais vis dos filhos dos homens são exaltados.
(SALMO 12)

Letty Martins

Anúncios

ARREPENDIMENTO DO PECADOR

•dezembro 24, 2008 • Deixe um comentário

 1 Ó SENHOR, não me repreendas na tua ira, nem me castigues no teu furor.
2 Porque as tuas flechas se cravaram em mim, e a tua mão sobre mim desceu.
3 Não há coisa sã na minha carne, por causa da tua cólera; nem há paz em meus ossos, por causa do meu pecado.
4 Pois já as minhas iniqüidades sobrepassam a minha cabeça; como carga pesada são demais para as minhas forças.
5 As minhas chagas cheiram mal e estão corruptas, por causa da minha loucura.
6 Estou encurvado, estou muito abatido, ando lamentando todo o dia.
7 Porque as minhas ilhargas estão cheias de ardor, e não há coisa sã na minha carne.
8 Estou fraco e mui quebrantado; tenho rugido pela inquietação do meu coração.
9 Senhor, diante de ti está todo o meu desejo, e o meu gemido não te é oculto.
10 O meu coração dá voltas, a minha força me falta; quanto à luz dos meus olhos, ela me deixou.
11 Os meus amigos e os meus companheiros estão ao longe da minha chaga; e os meus parentes se põem à distância.
12 Também os que buscam a minha vida me armam laços e os que procuram o meu mal falam coisas que danificam, e imaginam astúcias todo o dia.
13 Mas eu, como surdo, não ouvia, e era como mudo, que não abre a boca.
14 Assim eu sou como homem que não ouve, e em cuja boca não há reprovação.
15 Porque em ti, Senhor, espero; tu, Senhor meu Deus, me ouvirás.
16 Porque dizia eu: Ouve-me, para que não se alegrem de mim. Quando escorrega o meu pé, eles se engrandecem contra mim.
17 Porque estou prestes a coxear; a minha dor está constantemente perante mim.
18 Porque eu declararei a minha iniqüidade; afligir-me-ei por causa do meu pecado.
19 Mas os meus inimigos estão vivos e são fortes, e os que sem causa me odeiam se multiplicam.
20 Os que dão mal pelo bem são meus adversários, porquanto eu sigo o que é bom.
21 Não me desampares, Senhor, meu Deus, não te alongues de mim.
22 Apressa-te em meu auxílio, Senhor, minha salvação.
(SALMO 38)

A VAIDADE DA VIDA

•julho 21, 2008 • Deixe um comentário

1. Disse comigo mesmo: guardarei os meus caminhos, para não pecar com a língua; porei mordaça à minha boca, enquanto estiver na minha presença o ímpio.
2. Emudeci em silêncio, calei acerca do bem, e a minha dor se agravou.
3. Esbraseou-se-me no peito o coração; enquanto eu meditava, ateou-se o fogo; então, disse eu com a própria língua:
4. Dá-me a conhecer, SENHOR, o meu fim e qual a soma dos meus dias, para que eu reconheça a minha fragilidade.
5. Deste aos meus dias o comprimento de alguns palmos; à tua presença, o prazo da minha vida é nada. Na verdade, todo homem, por mais firme que esteja, é pura vaidade.
6. Com efeito, passa o homem como uma sombra; em vão se inquieta; amontoa tesouros e não sabe quem os levará.
7. E eu, Senhor, que espero? Tu és a minha esperança.
8. Livra-me de todas as minhas iniqüidades; não me faças o opróbrio do insensato.
9. Emudeço, não abro os lábios porque tu fizeste isso.
10. Tira de sobre mim o teu flagelo; pelo golpe de tua mão, estou consumido.
11. Quando castigas o homem com repreensões, por causa da iniqüidade, destróis nele, como traça, o que tem de precioso. Com efeito, todo homem é pura vaidade.
12. Ouve, SENHOR, a minha oração, escuta-me quando grito por socorro; não te emudeças à vista de minhas lágrimas, porque sou forasteiro à tua presença, peregrino como todos os meus pais o foram.
13. Desvia de mim o olhar, para que eu tome alento, antes que eu passe e deixe de existir.
[SALMO 39]

A VOZ DE DEUS NA TEMPESTADE

•maio 2, 2008 • 2 Comentários

1. Tributai ao SENHOR, filhos de Deus, tributai ao SENHOR glória e força.
2. Tributai ao SENHOR a glória devida ao seu nome, adorai o SENHOR na beleza da santidade.
3. Ouve-se a voz do SENHOR sobre as águas; troveja o Deus da glória; o SENHOR está sobre as muitas águas.
4. A voz do SENHOR é poderosa; a voz do SENHOR é cheia de majestade.
5. A voz do SENHOR quebra os cedros; sim, o SENHOR despedaça os cedros do Líbano.
6. Ele os faz saltar como um bezerro; o Líbano e o Siriom, como bois selvagens.
7. A voz do SENHOR despede chamas de fogo.
8. A voz do SENHOR faz tremer o deserto; o SENHOR faz tremer o deserto de Cades.
9. A voz do SENHOR faz dar cria às corças e desnuda os bosques; e no seu templo tudo diz: Glória!
10. O SENHOR preside aos dilúvios; como rei, o SENHOR presidirá para sempre.
11. O SENHOR dá força ao seu povo, o SENHOR abençoa com paz ao seu povo. SALMO 29

MALÍCIA HUMANA E BENIGNIDADE DIVINA

•maio 2, 2008 • Deixe um comentário

1. Há no coração do ímpio a voz da transgressão; não há temor de Deus diante de seus olhos.
2. Porque a transgressão o lisonjeia a seus olhos e lhe diz que a sua iniqüidade não há de ser descoberta, nem detestada.
3. As palavras de sua boca são malícia e dolo; abjurou o discernimento e a prática do bem.
4. No seu leito, maquina a perversidade, detém-se em caminho que não é bom, não se despega do mal.
5. A tua benignidade, SENHOR, chega até aos céus, até às nuvens, a tua fidelidade.
6. A tua justiça é como as montanhas de Deus; os teus juízos, como um abismo profundo. Tu, SENHOR, preservas os homens e os animais.
7. Como é preciosa, ó Deus, a tua benignidade! Por isso, os filhos dos homens se acolhem à sombra das tuas asas.
8. Fartam-se da abundância da tua casa, e na torrente das tuas delícias lhes dás de beber.
9. Pois em ti está o manancial da vida; na tua luz, vemos a luz.
10. Continua a tua benignidade aos que te conhecem, e a tua justiça, aos retos de coração.
11. Não me calque o pé da insolência, nem me repila a mão dos ímpios.
12. Tombaram os obreiros da iniqüidade; estão derruídos e já não podem levantar-se. SALMO 36

PERDÃO PARA SER PERDOADO

•março 15, 2008 • Deixe um comentário

PERDÃO Ato de remissão do pecado cometido. É próprio de Deus perdoar aqueles que se arrependem (Mt 6.12; Mc 2.7). Jesus tem o poder e a autoridade de perdoar pecados (Mc 2.10). O perdão de Deus tem relação com a disposição do pecador para perdoar os que pecaram contra ele (Mt 6.14-15). Os cristãos devem perdoa-se uns aos outros, assim como Deus, em Cristo, os perdoou (Cl 3.13). Quando Deus perdoa, ele o faz por completo (Jr 31.34; Mq 7.19; 1Jo 1.9). Todos os pecados podem ser perdoados, exceto a blasfêmia contra o Espírito Santo (Mt 12.31).

e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores; Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens as suas ofensas, tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas. Mateus 6.12,14-15

Por que fala ele deste modo? Isto é blasfêmia! Quem pode perdoar pecados, senão um, que é Deus? Ora, para que saibais que o Filho do Homem tem sobre a terra autoridade para perdoar pecados. Marcos 2.7,10

Suportai-vos uns aos outros, perdoai-vos mutuamente, caso alguém tenha motivo de queixa contra outrem. Assim como o Senhor vos perdoou, assim também perdoai vós. Colossenses 3.13

Não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão, dizendo: Conhece ao SENHOR, porque todos me conhecerão, desde o menor até ao maior deles, diz o SENHOR. Pois perdoarei as suas iniqüidades e dos seus pecados jamais me lembrarei. Jeremias 31.34

Tornará a ter compaixão de nós; pisará aos pés as nossas iniqüidades e lançará todos os nossos pecados nas profundezas do mar. Miquéias 7.19

Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. 1João 1.9

Por isso, vos declaro: todo pecado e blasfêmia serão perdoados aos homens; mas a blasfêmia contra o Espírito não será perdoada. Mateus 12.31

Blasfêmia contra o Espírito Santo Ação de atribuir ao diabo as ações de Jesus, o Messias de Deus (Mt 12.31; Mc 3.29; Lc 12.10).

Mas aquele que blasfemar contra o Espírito Santo não tem perdão para sempre, visto que é réu de pecado eterno. Marcos 3.29

Todo aquele que proferir uma palavra contra o Filho do Homem, isso lhe será perdoado; mas, para o que blasfemar contra o Espírito Santo, não haverá perdão. Lucas 12.10

Visto que a nossa salvação depende muito da nossa comunhão e conduta com o nosso próximo e não somente com Deus, devemos ter o cuidado de nos examinar diariamente.

No que depender de vocês, façam todo o possível para viver em paz com todas as pessoas. Romanos 12:18

VOCÊ ESTÁ PRONTO PARA O SEU JULGAMENTO?

Um relato verídico vivido pelo pastor africano Daniel Ekechukwu que brigou com sua esposa, não a perdoou, e ao sair com seu carro sofre um acidente e morre. A certidão de óbito é emitida, seu corpo vai para o necrotério, tudo fica pronto para seu enterro. Mas sua esposa não aceita, leva seu corpo para uma igreja para haver intercesão do povo de Deus para que o dono da vida traga Daniel de volta. Enquanto isso, Daniel, as portas do paraíso, é levado por um anjo para conhecer o céu e o inferno. Durante a visão terrível do fogo inestinguível e gente gemendo, Daniel se depara com seu próprio julgamento. Este é um compacto do filme americano chamado “O Fenômeno Lázaro”. Versão em português. Assista e reflita!

Erlete Martins
Abba Pai

ANELO PARA A JUSTIÇA DE DEUS

•março 12, 2008 • Deixe um comentário

glitter-butterfly.gif1. Ó SENHOR, Deus das vinganças, ó Deus das vinganças, resplandece.
2. Exalta-te, ó juiz da terra; dá o pago aos soberbos.
3. Até quando, SENHOR, os perversos, até quando exultarão os perversos?
4. Proferem impiedades e falam coisas duras; vangloriam-se os que praticam a iniqüidade.
5. Esmagam o teu povo, SENHOR, e oprimem a tua herança.
6. Matam a viúva e o estrangeiro e aos órfãos assassinam.
7. E dizem: O SENHOR não o vê; nem disso faz caso o Deus de Jacó.
8. Atendei, ó estúpidos dentre o povo; e vós, insensatos, quando sereis prudentes?
9. O que fez o ouvido, acaso, não ouvirá? E o que formou os olhos será que não enxerga?
10. Porventura, quem repreende as nações não há de punir? Aquele que aos homens dá conhecimento não tem sabedoria?
11. O SENHOR conhece os pensamentos do homem, que são pensamentos vãos.
12. Bem-aventurado o homem, SENHOR, a quem tu repreendes, a quem ensinas a tua lei,
13. para lhe dares descanso dos dias maus, até que se abra a cova para o ímpio.
14. Pois o SENHOR não há de rejeitar o seu povo, nem desamparar a sua herança.
15. Mas o juízo se converterá em justiça, e segui-la-ão todos os de coração reto.
16. Quem se levantará a meu favor, contra os perversos? Quem estará comigo contra os que praticam a iniqüidade?
17. Se não fora o auxílio do SENHOR, já a minha alma estaria na região do silêncio.
18. Quando eu digo: resvala-me o pé, a tua benignidade, SENHOR, me sustém.
19. Nos muitos cuidados que dentro de mim se multiplicam, as tuas consolações me alegram a alma.
20. Pode, acaso, associar-se contigo o trono da iniqüidade, o qual forja o mal, tendo uma lei por pretexto?
21. Ajuntam-se contra a vida do justo e condenam o sangue inocente.
22. Mas o SENHOR é o meu baluarte e o meu Deus, o rochedo em que me abrigo.
23. Sobre eles faz recair a sua iniqüidade e pela malícia deles próprios os destruirá; o SENHOR, nosso Deus, os exterminará. SALMO 94